terça-feira, 31 de março de 2009

Midnight Sun

Devo começar por dizer que isto é uma espécie de manuscrito, é um rascunho e não um livro... Enfim, deveria ser o quinto livro da Saga Luz e Escuridão se alguém não tem posto na net aquilo que a autora já tinha escrito, sem o conhecimento e aprovação dela. Com isto conseguiram que Stephenie Meyer pusesse a escrita de lado, aguardando quiçá melhores dias... Ficamos, pois, com a penas doze capítulos para matar a curiosidade - ou aguçá-la.
Midnight Sun não é mais que o Crepúsculo visto pelos olhos de Edward e não pelos de Bella e, para mim, é (ou seria, ou pede vir a ser) o melhor livro de toda a Saga - se bem que ainda não tenha lido o Amanhecer.
É surpreendente como na leitura de Crepúsculo perdemos tanatas coisas importantes e muitas histórias paralelas - como as histórias pessoais e personalidades dos colegas de Bella ou dos diferentes membros da família Cullen. Com este pequeno "rascunho" conhecemos isto tudo e muito mais, a mesma história vista por um ângulo diferente e pelas capacidades de alguém que ouve mais que os restantes e lê pensamentos. Ou seja, ele sabe sempre demais - graças às suas capacidades - e é isso que nos conta desvendando-nos as peças que faltavam encaixar para uma perfeita compreensão da história.
Para o caso de não nos termos apaixonado pelo charmosos vampiro em Crepúsculo, em Midnight Sun é impossível ficar indiferente a este personagem que consegue ser tudo aquilo que uma rapariga quer... Fiquei a conhecer melhor as personagens mais apagadas nos outros livros da saga e fui conquistada por Alice e Emmet que se revelam muito mais humanos e acessíveis; o mesmo não se pode dizer de Rosalie que conseguiu desiludir-me completamente com tanto egoismo e egocentrismo.
Quanto à história em si, não posso dizer nada, (afinal é a história do primeiro volume - infelizmente incompleta) a não ser que é fabuloso descobrir como pensa Edward e tudo o que ele planeia para estar sempre com Bella e tentar agradar-lhe. Gostava realmente que a autora um dia se decidisse a terminar este volume.

Um comentário: